segunda-feira, 27 de abril de 2009

PÉTALAS

Pétalas que se vão desvanecendo,
lentamente,acompanhando o teu vestido de cetim,
que cai,nos meus braços,libertando aromas de
primavera soalheira...
Os olhos cerram ligeiramente,
a mente pede mais um sonho,
e a realidade pede para acordarmos...
uma estrela cai a nossa frente;
o seu brilho, uma mensagem de esperança,
que o medo tenta ofuscar sem razão.
Seria um trovador,
ensaiando mais uma melodia de encantar.
reescrevendo o teu destino
e cantando um futuro diferente,
onde a tua face seria o espelho
da plenitude e do amor
tal pétala que perfuma,
as minhas mãos desfiguradas...

Mito 2009

4 comentários:

Senssis disse...

Defino teu texto com uma só palavra: fabuloso!
A tua escrita é repleta de sentimentos, sensações e sentidos despertos...
Parabéns!
Bjinhos

alma disse...

"reescrevendo o teu destino
e cantando um futuro diferente"

o futuro é incerto, mas quantas vezes não o "vivemos" já nos nossos planos que nunca chegam a acontecer? Por isso sofremos tanto quando a vida nos revela um caminho diferente e demoramos a aceitá-lo.

Peach disse...

Quem me dera ter escrito este poema! Que melhor elogio posso fazer ao que escreveste?


beijo

Mito disse...

Senssis; Obrigado pelo teu comentário e contante força para "tentar" usar as palavras para definir sentimentos e acções:-)

Alma: Bem Vinda!....fiquei a pensar,é bom alguem nos dar motivos para reflectir ;-)

Peach:Tenho andado meio perdido e meio orientado, mas mais uma vez digo-te que tu poderias ter escrito este poema(saco de palavras???)

beijo