sábado, 20 de setembro de 2008

Preciso

Preciso de te encontrar,
preciso de saber se afinal existes
ou se és uma tentativa da Ilusão
para me confundir a melancolia.
preciso de te encontrar,
mesmo que seja por breves instantes.
Preciso que aceites que estas palavras,
sao vagas e inconpreendidas,
que não me questiones.
Que não peças para cerrar os lábios;
Ao invês,senti-los sim, no teu pescoço.
Preciso de descobrir,
e desvendar quem tu és,
o que representas sem a demagogia,
de uma atracção não compreendida.
preciso de encontrar-te e desejar,
encarnar nesse corpo e sumir,
não sei bem, para onde.
preciso de precisar,
quem tu és,
pois agora,só me resta imaginar-te...

Amitab(mito) 2008

1 comentário:

Sabor a Menta disse...

Lindo de morrer este teu poema!
Sempre soube que escrevias bem, mas tens momentos de pura magia na tua escrita!

Beijo